Flamengo bate o Fluminense e abre cinco pontos na liderança do Brasileirão

“O Fla-Flu não tem começo. O Fla-Flu não tem fim. O Fla-Flu começou quarenta minutos antes do nada. E aí então as multidões despertaram.”

A icônica frase de Nelson Rodrigues dá a dimensão do que o clássico entre Flamengo e Fluminense representa: uma disputa histórica, acirrada e de extrema importância para os torcedores e jogadores dos dois clubes. Nesta quinta-feira, dia 7, não foi diferente. Jogando pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro 2018 no estádio Mané Garrincha, em Brasília, os times se encararam com objetivos distintos.

Com 14 pontos, o Flu buscava se aproximar do pelotão principal, enquanto o Fla buscava consolidar sua liderança e aumentar a distância para o segundo colocado.

No fim, quem sorriu foi o Flamengo, que bateu o rival por 2 a 0 e aumentou para cinco a vantagem de pontos na tabela sob o Sport. Com a derrota, o Flu estaciona na 10ª posição, com 14 pontos.

A partida

Sem Diego, suspenso, o treinador do Flamengo, Maurício Barbieri, apostou no colombiano Marlos Moreno e em atletas surgidos na base rubro-negra para sufocar o rival. A proposta de jogo surtiu efeito, e desde o começo da partida o Flamengo encurralou o Fluminense, com os garotos conduzindo o time à sua quarta vitória consecutiva no Brasileirão. Apesar de ser disputada fora do Rio, o mando no Distrito Federal era do Flu, mas o time de Abel Braga não conseguiu impor seu ritmo e virou presa fácil para o rival.

Destaques entre as revelações do Mengão, Vinícius Júnior e Lucas Paquetá foram um tormento para o sistema defensivo do Flu.

Com dribles e jogadas arriscadas, os dois deram o tom do Flamengo na partida, que partiu para cima sem deixar de mostrar eficiência na defesa. Mais “a fim” de jogo, o Fla foi recompensado aos 30 do primeiro tempo, quando Marlos Moreno caiu na área após lance com Marlon. Henrique Dourado bateu no canto e “ceifou”, abrindo o placar para o Flamengo.

Com a vantagem no placar, o Flamengo teve tranquilidade na partida, e continuou dominando o Flu e levando perigo à meta de Júlio César. O Flu até que tentou igualar a partida, mas parou na boa defesa flamenguista ou nas mãos de Diego Alves, que sofreu apenas um gol nas últimas 12 partidas. O Fluminense também sentiu a ausência de seu artilheiro, Pedro, lesionado. O time de Abel Braga também teve outros três desfalques no time titular, com Marcos Junior, Léo e Ayrton Lucas também no departamento médico. O time só deve voltar a estar completo após a parada para a Copa.

Sem se importar com os problemas do rival, o Fla continuou controlando o jogo e “matou” a partida aos 33 do segundo tempo.

Após bela jogada de Everton Ribeiro pela direita, Felipe Vizeu recebeu dentro da pequena área, driblou Júlio César e tocou para o fundo das redes. Placar sacramentado em 2 a 0 e vitória garantida para o Fla.

Próximos compromissos e polêmica

Embalado pela ótima série de vitórias, o Fla pega o Paraná no próximo domingo, dia 10, no Maracanã. Caso o time vença, já terá garantido a primeira colocação no Brasileiro até a parada para a Copa, independente do resultado na partida seguinte, contra o Palmeiras, a última antes da pausa para o torneio mundial. O Paraná está na zona de rebaixamento, na 18ª colocação, com 9 pontos.

Já o Flu viaja até Belo Horizonte, onde encara o Atlético-MG no mesmo domingo, em partida a ser disputada no Independência. O Galo está em 4º no Campeonato Brasileiro, com 17 pontos, um a menos do que o vice-líder Sport.

Após o fim do jogo, lances da partida continuaram repercutindo entre as equipes. Treinador do Flu, Abel Braga reclamou do que chamou de “frescurinhas” do rival, em alusão aos dribles aplicados por Paquetá e Vinícius Júnior ainda no primeiro tempo.

“Houve um certo exagero em algumas jogadas. De subestimar, por aí não é legal”, disse Abel. “Daqui a pouco quem está perdendo está com sangue quente. Aí, dá uma entrada e alguém quebra a perna”, completou o treinador do Fluminense, que afirmou ter falado com Maurício Barbieri sobre a situação.

Questionado sobre o lance, Vinícius Júnior se defendeu. “É o nosso futebol brasileiro. Sempre que puder fazer em direção ao gol, vamos fazer sempre respeitando o adversário”, disse o atacante.

Leave a Comment