Após pesquisa Datafolha, Lula comemora, Bolsonaro ataca e Marina esperançosa com resultado

A pesquisa Datafolha de intenção de voto divulgada no último domingo (10) reverberou entre os presidenciáveis [VIDEO] e causou os mais diversos tipos de reação. O Partido dos Trabalhadores, por exemplo, comemorou nas redes sociais a liderança do ex-presidente Lula [VIDEO] em todos os cenários que foi testado, inclusive no segundo turno. Já Bolsonaro preferiu seguir sua estratégia de xingar e espernear, criticando o instituto que realiza a pesquisa, ao aparecer com 19%.

Os outro dois pré-candidatos mais bem pontuados na pesquisa são Marina Silva e Ciro Gomes. A ex-senadora da República mantém a segunda posição nos cenários em que Lula não é candidato com no máximo 15%.

A esperança de Marina é que o PT não consiga liberar Lula para disputar o pleito. Nesse desenho, provavelmente, ela iria ao segundo turno com Bolsonaro. A representante da Rede bate no mano a mano o deputado. 42% a 32%

Ciro Gomes absorveu parte dos votos daqueles eleitores que diziam votar em Joaquim Barbosa. Em cenários que Lula está presente, não passa dos 6%. Já quando o ex-presidente não disputa, pula para 11% ou 10%. Ciro é outro que deve torcer para que o PT não consiga oficializar a candidatura de Lula. O pedetista está estagnado, mas mantém uma distância curta para os primeiros colocados, sonhando com uma disputa no segundo turno.

O tucano Geraldo Alckmin se frustrou mais uma vez, ao perceber que sua candidatura não decolou como esperava, apenas 7%.

O ex-presidente Lula vence qualquer outro candidato no segundo turno.

Sem Lula, Marina é quem vence todos. Numa disputa entre Ciro e Bolsonaro, o cearense bate o carioca. Contra Geraldo Alckmin, Ciro também está na frente. Numa disputa no segundo turno entre Bolsonaro e Alckmin, a pesquisa apresentou empate.

Reações

O Partido dos Trabalhadores recebeu com comemoração a nova pesquisa Datafolha que apresenta Lula na liderança, mesmo estando preso há mais de dois meses. “O Brasil já sabe que vai ser feliz de novo. Lula, além de ser líder isolado, vence em todos os cenários”, disse o Twitter do PT.

Bolsonaro apareceu nas redes sociais para realizar críticas ao Datafolha. Segundo o deputado, “outro instituto” o coloca na liderança. O presidenciável ainda chamou a pesquisa de “vexame”. A principal crítica do parlamentar é o fato de ser derrotado em todos os cenários no segundo turno, só não contra Alckmin, que estaria empatado.

Marina Silva afirmou que a pesquisa serve para representar um belo quadro do momento político vivido pelo Brasil. Segundo ela, o momento é de tentar “dialogar” com os 30% dos eleitores entrevistados que disseram não ter candidato ou que pretendem votar em branco ou nulo.

A senadora da Rede disse que o eleitorado está “indignado”, o que faz aumentar a responsabilidade dos candidatos.

Geraldo Alckmin não se manisfestou com relação a pesquisa, mas seu coordenador de plano de governo, sim. Luiz Felipe D’Ávila afirmou que tem certeza que irá para o segundo turno. E ponderou que o fato de existir um número muito grande de candidatos faz com que os índices de cada um diminua. Geraldo Alckmin, há algumas semanas, durante sabatina ao UOL, SBT e Folha de S. Paulo, afirmou que as pesquisas do momento não serviam de muito parâmetro, pois muitos dos nomes que estavam lá não serão realmente candidatos, então não é possível traçar uma fotografia real.

7% de Geraldo Alckmin é o pior desemprenho de um candidato à Presidência da República pelo PSDB em 30 anos, segundo a Folha de São Paulo. O único que pode se comparar é Mario Covas, outro ex-governador de São Paulo, que na eleição da redemocratização, em 1989, tinha 5% em junho. Covas acabou o pleito em 4º lugar.

Leave a Comment